Desabilitar Preloader

Notícias

Receba Novidades

Entrevista com Dina e Clarice, filhas da residente Eugênia Kipnis

2016-10-20

Entrevista

Nesta entrevista as filhas falam sobre os desafios de cuidar adequadamente de um idoso cuja saúde está comprometida, as dores de cabeça com acompanhantes, como vencer o preconceito, superar a ansiedade e o que mudou na vida delas e da mãe.

FF- Por que vocês decidiram internar sua mãe no Froien Farain?

Dina - Fui ao Froien Farain visitar uma amiga nossa que estava lá para se recuperar de uma cirurgia e fiquei surpresa com o que vi, não era nada do que eu imaginava que fosse o Froien Farain.

Logo depois o meu marido tornou-se um voluntário lá e ele sempre comentava conosco sobre o trabalho de modernização da gestão e o salto de qualidade que vinha ocorrendo nos serviços oferecidos pela instituição.

Mesmo assim levou um bom tempo para minha irmã e eu superarmos o preconceito: para muitos, levar um familiar para uma instituição dessas é sinônimo de ingratidão para com o idoso.

Após um primeiro momento cheio de ansiedade, logo descobrimos que não foi uma decisão egoísta, foi o melhor que poderia ter acontecido para a nossa mãe!

FF - Quais as vantagens que vocês percebem em ter um parente internado no Froien Farain em relação a mantê-lo em casa?

Dina - Ela morava sozinha. Havia duas acompanhantes (na verdade domésticas sem nenhum preparo formal para o cuidado com o idoso) que ficavam horas vendo televisão, ou no Facebook, ou dormindo e que, no restante do tempo, cozinhavam e limpavam a casa.

Tínhamos que administrar as despesas da sua residência, fazer supermercado, controlar o desperdício de alimentos e material de limpeza, ficar em dúvida se estava sendo maltratada em nossa ausência, se estavam lhe ministrando os medicamentos nas horas certas, ficar atentas para alguma emergência dia ou noite, resolver divergências entre as acompanhantes, correr para suprir possíveis ausências, administrar fofocas, recrutar substitutas de um dia para o outro….

Depois que ela mudou-se para o Froien Farain houve uma mudança radical!

Clarice - Visitamos a nossa mãe todos os fins de semana, portanto ela não se sente abandonada.

Quando chegamos lá encontramos dependências asseadas, o quarto limpo, ela toda arrumada, com o café tomado, pronta para as atividades do dia: pode ser no Salão de Convivência, onde os residentes se reúnem para ver os animaizinhos do Pelo Próximo, ou os Palhaços do Projeto "Uma Bela Visita", ou para participar do Círculo de Leitura. Pode ser ouvir um voluntário tocando piano e cantar junto, dançar (isso mesmo) ou, simplesmente, ver televisão. Uma vez por semana ela vai à Sala de Atividades, para desenhar, colorir, recortar ou fazer algum outro trabalho manual.

Se o tempo favorece, ela é levada pela acompanhante à pracinha (Praça Afonso Pena) tomar sol e ver outras pessoas.

Dina - Quanto aos cuidados: as acompanhantes, agora dispensadas das tarefas domésticas, têm que dedicar-se integralmente a cuidar do seu residente. E, embora formalmente vinculadas ao responsável pelo idoso, são obrigadas a seguir as regras da instituição e estão sempre sujeitas ao olhar atento da equipe de enfermagem, para prevenir qualquer deslize. As refeições são balanceadas, orientadas pela nutricionista (quem tem uma nutricionista em casa?). As enfermeiras e cuidadoras estão presentes 24 horas, 7 dias por semana, para dar os medicamentos, fazer avaliações diárias e atender qualquer ocorrência. Para uma situação mais séria, o Dr. Davis está sempre pronto para agir.

FF - Como está sendo a experiência de vocês até agora com o Froien Farain? Sua mãe está bem adaptada e feliz?

Clarice - Ficamos sensibilizadas com a dedicação das damas que dirigem a instituição. Semanalmente elas se reúnem para ouvir um relatório sobre o estado de cada residente. E salta aos olhos o carinho que os funcionários têm pelos idosos.

Dina- A nossa mãe se adaptou com facilidade, ela é uma pessoa muito especial, de fácil trato,  e está tendo um atendimento muito melhor do que poderíamos lhe proporcionar diretamente. Não nos arrependemos, muito pelo contrário! Estamos lhe proporcionando uma velhice com dignidade!

Recomendamos a todas as amigas que possuem familiares na mesma situação. E a comunidade deveria procurar conhecer melhor o Froien Farain, uma instituição que oferece um excelente serviço.